MONSENHOR GIL – PI: ABERTURA DO CAMPEONATO MUNICIPAL DE FUTEBOL

Aconteceu hoje, dia 2 de outubro de 2021, a abertura do Campeonato Municipal de Futebol Amador de Monsenhor Gil, o qual conta com as seguintes equipes: Sitio do Projeto, Bolívia, Dallas, Brejo e Santa Cruz pelo Grupo A; Vasco, Canafístula, Boa Esperança, Santa Rita e Grêmio pelo Grupo B; Boca Junior, Cocal, São Luiz e Santa Barbara pelo Grupo C que disputam no próximo sábado, dia 9 de outubro. As partidas de hoje terminaram em empate:  Sitio x Bolivia empataram em zero a zero; E Dallas x Brejo terminou em…

LEIA MAIS

Vôlei: Brasil perde para Comitê Russo e se despede da briga pelo ouro

A seleção brasileira de vôlei masculino deu adeus ao sonho do ouro olímpico nos Jogos de Tóquio (Japão). Os brasileiros foram derrotados de virada na madrugada desta quinta-feira (5) para o Comitê Olímpico Russo (ROC, na sigla em inglês) por 3 sets a 1, com parciais de 18/25, 25/21, 26/24 e 25/23. A partida foi realizada na Arena de Ariake, na capital Tóquio.

Desde os Jogos Olímpicos de Sidney (2000) o Brasil não fica de fora de uma final da competição. À época, o país foi eliminado nas quartas de final em confronto com a Argentina. Depois disso, foram quatro decisões consecutivas, tendo levado duas medalhas de ouro (Atenas 2004 e Rio 2016) e duas de prata (Pequim 2008 e Londres 2012).

Apesar de não avançar à final, o levantador Bruninho diz que o time tem que se manter firme para buscar  a medalha de bronze. 

“Por mais difícil que seja, temos que apagar isso [a derrota de virada para a Rússia]. O bronze conta muito pra gente. Sabemos o quanto a gente merece, quanto a gente trabalha, se dedica. Então, vamos entrar com a faca nos dentes como se fosse o ouro. Não temos tempo para lamentar”, disse Bruninho, campeão olímpico na Rio 2016, em depoimento ao Comitê Olímpico do Brasil (COB).

A luta pelo bronze será à 1h30 (horário de Brasília) deste sábado (7). O adversário será o perdedor do confronto entre França e Argentina, às 9h desta quinta (5). 

LEIA MAIS

Tóquio: Bia Ferreira e Hebert Conceição vão lutar pelo ouro no boxe

Os baianos Beatriz Ferreira e Hebert Conceição estão nas finais do boxe na Olimpíada de Tóquio (Japão). Atual campeã mundial, a peso-leve brasileira avançou após vencer a finlandesa Mira Potkonen, na categoria até 60 quilos, por decisão unânime dos árbitros (5 a 0). Na disputa masculina da categoria peso-médio (75 kg), Conceição superou o atual campeão mundial Gleb Bakshi, do Comitê Olímpico Russo (ROC, na sigla em inglês), por 4 a 1, também por decisão dos juízes. Ambos os duelos ocorreram na madrugada desta quint-feira (5) na Arena Kokugikan, na capital japonesa.

É primeira vez na história dos Jogos Olímpicos que o boxe brasileiro se garante em duas finais olímpicas em uma mesma edição dos Jogos. Além disso, o esporte já assegurou três medalhas em Tóquio, já que além de Bia e Hebert, Abner Teixeira (categoria 91kg) conquistou o bronze.

Pela terceira vez nos Jogos, Bia disse estar ansiosa para enfrentar pela primeira vez na carreira a irlandesa Kellie Harrington, campeã mundial em 2018.

“Queria muito essa luta. Participamos de alguns campeonatos, mas infelizmente não chegamos a lutar. Ela é campeã mundial, tem todo o meu respeito e estou bem ansiosa para esse espetáculo. Espero sair com a vitória e mandar essa medalha para o meu pai”, afirmou a baiana, em depoimento ao Comitê Olímpico do Brasil (COB). 

A final feminina será às 2h (horário de Brasília) de domingo (8), dia do encerramento dos Jogos de Tóquio. 

Logo após a luta da compatriota, foi a vez de Hebert Conceição entrar no ringue contra Gleb Bakshi, do ROC, que já havia derrotado o baiano na semi do Campeonato Mundial em 2019. Mas nesta quinta (5) Conceição levou a melhor.

“Estava um pouco tenso antes da luta, como sempre fico. Acho que temos que ter essa adrenalina, treinei muito com a minha equipe. Foi bom que consegui reverter mais essa revanche. Peguei uma chave muito dura”, contou o pugilista ao COB.

O brasileiro disputará o ouro no sábado  (7), às 2h45 (horário de Brasília), em final contra o ucraniano Oleksandr Khyzhniak.

Trajetórias

Beatriz Ferreira estreou nos Jogos Olímpicos com vitória contra Shih-Yi Wu, de Taiwan. A brasileira venceu com julgamento unânime dos juízes(5 a 0), garantindo a classificação para as quartas de final. Na sequência, ela encarou a uzbeque Raykhona Kodirova, que também foi derrotada por decisão concordante dos cinco árbitros.

Já Hebert Conceição estreou com vitória contra o chinês Erbieke Tuoheta em decisão por pontos. No julgamento dos árbitros, a luta terminou com o resultado de 3 a 2. Na sequência, nas quartas de final, o brasileiro derrotou o cazaque Abilkhan Amankul. A vitória foi por decisão dividida, com três juízes dando o triunfo ao brasileiro e dois ao pugilista do Cazaquistão. 

*Atualização às 7h43 para correção da informação sobre o campeão da Rio 2016: Robson Conceição conquistou o ouro na última edição dos Jogos, e não Hebert Conceição. 

LEIA MAIS

Psicólogos da Uerj recomendam formas de aprimorar rendimento de atleta

O Núcleo Aplicado de Psicologia do Esporte (Nape), do Instituto de Psicologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), dedicado ao estudo de atletas de alto rendimento, mostra que a psicologia pode contribuir para o aprimoramento da performance desses atletas em diferentes formas de atuação. “Essa é a ideia central do nosso laboratório, que existe há seis anos na Uerj”, disse à Agência Brasil o coordenador do Nape, professor Alberto Filgueiras. Alguns atletas que estão disputando os Jogos Olímpicos, no Japão, participaram dos estudos.

A primeira frente de pesquisas para auxiliar os atletas a ter melhor rendimento diz respeito às funções executivas e ao esporte. “Funções executivas são um grupo de processos da nossa mente, ou formas de pensar, que nos ajudam a render melhor em todos os aspectos da vida”. No caso específico do esporte, Filgueiras disse que é fundamental ter boas funções executivas, no sentido de executar bem alguma coisa.

Os pesquisadores do Nape descobriram que a capacidade de tomar boas decisões em uma competição, ou durante uma disputa, está associada com melhores níveis de funções executivas. A memória de curto prazo, ou memória de trabalho, faz parte dessas funções. “Ela é fundamental para esportes viso-espaciais, como futebol e vôlei.

Um tipo de função executiva é o chamado controle inibitório, que é a capacidade de inibir diferentes estímulos que causam algum tipo de distração. Nesse caso, fala-se de esportes de resistência, de provas longas, como maratona e maratona aquática. Por último, tem a função de flexibilidade cognitiva, que é a capacidade de pensar estratégias diferentes para a vida e para o esporte, em especial. Isso é visto em atletas de luta e em esportes que buscam fazer pontos contra os adversários, a exemplo de vôlei, vôlei de praia e do basquete.

Flexibilidade

A estratégia para vencer o adversário depende muito dessa flexibilidade cognitiva, afirmou o professor. “A gente sabe, concretamente, que quando comparados a pessoas normais, os atletas de elite têm até 30% mais essas funções executivas do que nós, meros mortais. Os atletas conseguem inibir distrações 30% melhor, conseguem reter informações na memória 30% a mais e também conseguem pensar em diferentes estratégias, ou seja, ser mais criativos, 30% mais do que nós”, acrescentou.

O estudo descobriu também que quando esses atletas não estão bem em termos de saúde mental, o rendimento cai. “E cai junto a performance em funções executivas”, destacou Filgueiras. Quando o atleta está mal do ponto de vista da saúde mental, ele é melhor do que uma pessoa comum apenas fisicamente, porque está mais bem preparado. Comparado, porém, com outros atletas que têm a saúde mental em dia, seu rendimento esportivo é pior, bem como as funções executivas. “O que nos ligou um alerta é que, do ponto de vista de saúde mental, atletas de alto rendimento podem chegar a ter até três vezes mais prevalência de transtornos de ansiedade e depressão do que a população em geral”.

Alberto Filgueiras informou que, em geral, atletas de alto rendimento vivem, em média, cinco anos a mais que a população em geral. “São mais longevos e têm muito menos doença cardíaca ou vascular. Ou seja, fazer esporte de alto rendimento é algo benéfico à saúde física. Porém, não é benéfico à saúde mental. Do ponto de vista psicológico, essas pessoas apresentam piores níveis de bem-estar, qualidade de vida e saúde mental quando comparados com o restante da população. Isso vale um alerta. É uma espécie de compensação, de equilíbrio”.

Soluções

O laboratório busca também soluções para os problemas. Segundo os pesquisadores, há quatro distintas técnicas que são eficazes para a melhora de rendimento e performance de atletas. Uma delas é a imagem mental, que envolve a visualização e todas as estruturas sensoriais, como olfato, tato, paladar. Ela serve para diminuir a ansiedade do atleta e para melhorar o aprimoramento da técnica e da estratégia de competição. Outra boa técnica é o estabelecimento de metas. “Não é estabelecer qualquer meta, nem fazer de qualquer maneira. É necessário ter um ajuste fino para cada atleta, para que se possa estabelecer a meta correta para cada um e que seja atingível, porque se um determinado atleta não se considera capaz, ele pode acabar desmotivado. Se, por outro lado, é dada a outro atleta uma meta fácil, ele também pode acabar desmotivado”.

O fundamental, na opinião de Filgueiras, é que a meta não pode estar atrelada a um resultado. Isso se explica porque o resultado na competição não está totalmente sob o controle do atleta. O processo de preparação aumenta a chance de alcançar o resultado final, mas não garante o resultado final. “A gente já percebeu que esse é um problema”. A meta deve estar atrelada ao dia a dia do atleta.

Outra técnica psicológica é a construção de time, em que se faz intervenções em grupos para que seus integrantes passem a ter os mesmos valores internos e os mesmos objetivos. A tendência é ter o mesmo nível de coesão. “A gente sabe que a coesão de um grupo está associada ao nível de rendimento desse grupo em competições”.

Diálogo interno

A última técnica é o diálogo interno. “A nossa mente vai aonde ela quer e não para onde a gente quer que ela vá”, observou o professor. A psicologia está aí para ensinar às pessoas a lidar com esses pensamentos, de forma a construir um diálogo interno que seja o tempo todo positivo e focado no que a pessoa tem que fazer durante a competição. O Nape ensina a substituir pensamentos negativos por outros que são mais úteis para o rendimento do atleta. Para evitar que a saúde mental do atleta seja afetada, é necessário fazer um trabalho para ele conversar melhor consigo mesmo na parte pessoal, e não se sinta culpado por tomar um sorvete, por exemplo.

Os psicólogos do Nape chamam o diálogo interno de reestruturação cognitiva, que é a modificação ou substituição de um pensamento antifuncional, isto é, que não funciona, por outro funcional. A dificuldade é que cada pessoa vai ter um pensamento substitutivo diferente. “Não dá para chegar com aquelas frases prontas, os chamados valores do esporte, que não funcionam para todos os atletas”, advertiu Alberto Filgueiras. Por isso, ele disse ser fundamental que o profissional que faz o treinamento técnico saiba como fazer a modificação desses pensamentos, para que eles sejam adequados àquele indivíduo.

LEIA MAIS

Fluminense x Bragantino jogam pela Copa do Brasil nesta quarta

Pela terceira fase da Copa do Brasil, Fluminense e Bragantino duelam, nesta quarta-feira (2), no Maracanã. A Rádio Nacional vai acompanhar as emoções da partida, às 21h30 (horário de Brasília), com narração de Felipe Rangel, comentários de Waldir Luiz, reportagem de Rodrigo Ricardo e plantão de Luiz Ferreira.

Acompanhe Fluminense X Bragantino, às 21h30, clique abaixo:

Fluminense e Bragantino estão na série A do Brasileirão. O Flu estreou empatando sem gols com o São Paulo no Morumbi. Já o Massa Bruta venceu a Chapecoense por 3 a 0.  As equipes também estão classificadas para as oitavas de final da Libertadores e da Copa Sul-Americana.  Os cariocas vão enfrentar o Cerro Porteño (Paraguai) pela Glória Eterna, enquanto os paulistas vão medir forças com o Independiente Del Valle (Equador) no caminho até A Grande Conquista.

Tanto Roger Machado quanto Maurício Barbieri vão ter desfalques importantes. O técnico do Flu não pode contar com o zagueiro Nino, convocado para a Seleção Olímpica, e com o meia Cazares, que vai servir a seleção equatoriana e também não pode disputar a Copa do Brasil pelo Flu, porque já jogou com a camisa do Corinthians pela competição.

Pelo Massa Bruta, Barbieri vai ter as ausências do meia Claudinho e do goleiro Cleiton também convocados para a Seleção Brasileira Olímpica.  O atacante Gabriel Novaes, que já defendeu o  Bahia pela Copa do Brasil, também está fora.

Em live pela TV Flu, o presidente do Tricolor Carioca, Mario Bittencourt, analisou o Bragantino.

“Equipe forte, com investimentos, em que pese ser considerada uma equipe de menor expressão. É uma competição que do ponto de vista financeiro é muito boa”, avaliou o dirigente, lembrando que o Flu conquistou o título de 2007 e foi vice em 1992 e 2005.

Quem avançar na Copa do Brasil vai receber um prêmio de R$ 2,7 milhões. Fora dos gramados, após quase três anos sem um patrocinador master, os tricolores anunciaram o contrato de dois anos com uma empresa internacional do ramo de apostas. Os valores não foram divulgados oficialmente, mas giram em torno de R$ 15 milhões anuais, segundo fontes das Laranjeiras.

Para o comentarista esportivo, Mario Silva, os comandados de Maurício Barbieri são favoritos a superar o elenco treinado por Roger Machado. “É um duelo de 180 minutos e pelo que apresentaram até agora, vejo o Bragantino como favorito, mas no futebol tudo pode mudar”.

O jogo de volta entre Flu e Bragantino será próximo dia 9 no Estádio Nabib Abib Chedid, em Bragança Paulista.

LEIA MAIS

Vasco supera Boavista por 1 a 0 pela Copa do Brasil

O Vasco derrotou o Boavista por 1 a 0, na noite desta terça-feira (1) no estádio de Bacaxá, na partida de ida da terceira fase da Copa do Brasil.

Com este resultado, o Cruzmaltino pode até mesmo empatar no jogo de volta (programado para a próxima quarta no estádio de São Januário) que garante vaga nas oitavas de final da competição. Em caso de vitória do Verdão de Saquarema por apenas um gol, a partida vai para a disputa de pênaltis.

O triunfo do Vasco foi garantido graças a um gol de Sarrafiore, alcançado aos 44 minutos do primeiro tempo. O meio-campista aproveitou uma bola que sobrou, após jogada trabalhada envolvendo Zeca e Morato, para marcar.

Derrota do São Paulo

Também nesta terça, o São Paulo foi derrotado, por 3 a 2, pelo 4 de Julho, em partida realizada no estádio Albertão, em Teresina.

Jogando em casa, a equipe da casa abriu o placar logo aos 8 minutos, quando Orejuela marcou contra. Mas o São Paulo conseguiu igualar aos 21 minutos, graças a um toque de cobertura do atacante Eder.

E o Tricolor conseguiu a virada, aos 29 minutos, novamente com um gol do atacante com passagem pela seleção italiana. Mas o 4 de Julho continuou em busca do empate, e o alcançou quando Orejuela falhou novamente e Gilmar Bahia ficou livre para marcar.

Na etapa final, a equipe da casa conseguiu o gol da vitória graças a um toque de cabeça do volante Rômulo.

Agora, o São Paulo precisa vencer por dois gols de vantagem na próxima terça-feira no estádio do Morumbi para avançar. Vitória do Tricolor por apenas um gol leva para a disputa de pênaltis. O empate é do 4 de Julho.

LEIA MAIS

Série B: em jogo agitado, Guarani vence Operário em Curitiba

O Guarani bateu o Operário de Ponta Grossa por 5 a 2, na noite desta terça-feira (1) no estádio Couto Pereira, em Curitiba, em jogo válido pela 2ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o time de Campinas chega a quatro pontos, e assume a liderança da competição. Já os paranaenses se mantêm com três pontos e ocupam até o momento o 6º lugar.

Logo aos oito minutos da primeira etapa, o Bugre abriu o placar com o atacante Bruno Sávio. Ele roubou a bola e tabelou com Davó para finalizar e abrir o placar. Aos 25 veio o segundo, quando o volante Bruno Silva chutou da intermediária no ângulo do goleiro Simão. Aos 28, o meia Jean Carlo diminuiu para o Fantasma após cruzamento rasteiro da linha de fundo. Mas a reação dos paranaenses durou muito pouco, pois, aos 29, o meia Régis aproveitou rebote do goleiro Simão para mandar a bola para as redes.

Na abertura da etapa final, o Guarani seguiu dominando a partida, e não demorou a alcançar o quarto gol. O atacante Davó ganhou da zaga e bateu colocado para vencer o goleiro Simão aos quatro minutos. O experiente centroavante Ricardo Bueno tentou recolocar o Operário no jogo ao marcar o segundo gol dos donos da casa. O atacante, bem posicionado, aproveitou rebote concedido pelo goleiro Rafael Martins para diminuir a vantagem paulista para 4 a 2.

Depois, o jogo seguiu muito agitado com chances das duas equipes. Mas, aos 41 minutos, ocorreu uma confusão na grande área do Guarani e dois atletas foram expulsos. Do lado do Operário, o lateral Alex Silva recebeu o vermelho. Do lado do Bugre, o goleiro Rafael Martins teve que sair mais cedo de campo. O time paulista ainda teve tempo de marcar mais um. Aos 47 minutos, o atacante Lucão do Break acertou um belo chute cruzado da intermediária e fechou o placar em 5 a 2.

O próximo jogo do Guarani é na sexta-feira (11), contra o Náutico em Campinas. Pela Série B, o Operário tem pela frente o jogo contra o Vitória, em Salvador no domingo (13). Mas, antes disso, o Fantasma decide a vaga à final do campeonato estadual contra o Londrina. O primeiro jogo é na segunda-feira (7) no estádio do Café, em Londrina, e a volta está marcada para quinta-feira (10) no estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa.

LEIA MAIS

Jogos de Tóquio: seleção de ciclismo mountain bike é definida

A Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) confirmou, na última segunda-feira (31), os nomes que representarão o país nos Jogos de Tóquio nas provas do mountain bike, que acontecerão entre 19 e 28 de julho de 2021.

O Brasil havia conquistado três vagas pelo ranking da União Ciclística Internacional (UCI, na sigla em inglês). No ranking olímpico masculino, a equipe brasileira terminou no 4º lugar e ficou com duas vagas. No feminino, o país finalizou na 17ª posição e garantiu a participação de uma ciclista. Como as vagas são destinadas à confederação nacional e não são nominais, a CBC, com base em critérios estabelecidos e publicados no dia 20 de junho de 2018, chamou Henrique Avancini, Luiz Henrique Cocuzzi e Jaqueline Mourão.

O carioca Avancini vai para a segunda edição de Jogos Olímpicos. Após o 23º lugar no Rio de Janeiro, o atleta abriu a temporada na liderança do ranking mundial da categoria e aparece como um dos favoritos a um lugar no pódio. Cocuzzi tem 27 anos e estreará em Jogos Olímpicos. Enquanto isso, Jaqueline Mourão vai à sétima edição olímpica. Aos 45 anos, ela já esteve em duas edições dos Jogos de verão, em Atenas (2004) e em Pequim (2008), e em quatro Olimpíadas de Inverno, em Turim (2006), em Vancouver (2010), em Sochi (2014) e em PyeongChang (2018), no esqui cross country.

LEIA MAIS

Saúde vai elaborar protocolo de segurança para a Copa América

O Ministério da Saúde informou que vai elaborar um protocolo de segurança para a realização da Copa América no Brasil. Segundo o ministro Marcelo Queiroga, o protocolo será elaborado em parceria com as autoridades sanitárias dos estados onde ocorrerão os jogos.

“Seguindo as recomendações de vossa excelência [presidente da República], o Ministério da Saúde elaborará, em parceria com as autoridades sanitárias dos estados onde acontecerão os jogos, um protocolo para promover a segurança dos atletas, comissão técnica e quem acompanha a nossa Copa América”, disse Queiroga.

O Brasil foi confirmado hoje (1º) como sede da Copa América, em um anúncio  do ministro-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos. No anúncio, Ramos disse que “venceu a coerência”, argumentando que o país já recebe jogos da Copa Libertadores, da Copa Sul Americana, do Campeonato Brasileiro e dos campeonatos estaduais. O Brasil atendeu a um pedido da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) para receber o torneio. A Copa América terá início no dia 13 e vai até 10 de julho.

As sedes originais do torneio eram Colômbia e Argentina. Os colombianos desistiram devido à grave crise social que tomou conta do país. Posteriormente, o governo argentino também desistiu do evento por causa da piora da pandemia na Argentina. Com aproximadamente 45 milhões de habitantes, a Argentina registrou mais de 3,6 milhões de casos da doença e 76 mil mortes causadas pelo vírus.

LEIA MAIS

Bruno Soares vence na estreia das duplas em Roland Garros

Vice-campeão em 2020 (naquela oportunidade ao lado do croata Mate Pavić) Bruno Soares estreou com vitória no torneio de duplas em Roland Garros nesta terça-feira (1). Ao lado do britânico Jamie Murray, o mineiro passou pelos britânicos Luke Bambridge e Dominic Inglot por 2 sets a 1, com parciais de 7/6(5), 6/7(4-7) e 6/3 em 2h43 de jogo.

Cabeça de chave 7 do Grand Slam francês, a dupla enfrenta na segunda rodada os vencedores do duelo entre Marcelo Demoliner e Santiago Gonzalez contra Oliver Marach e Aisam-ul-Haq Qureshi. A partida acontecerá na próxima quarta-feira (2). “Apesar de ter sacado mal, as outras coisas nós fizemos muito bem. O Jamie estava muito sólido e eu acompanhei bem na maior parte do jogo. Muito feliz de estar na segunda rodada, Roland Garros é um torneio muito importante. Seguimos jogo a jogo”, disse o atual número 12 do mundo à sua assessoria de imprensa.

O outro brasileiro que foi à quadra nesta terça, Marcelo Melo, acabou sendo derrotado. No retorno da parceria entre o mineiro e o polonês Lukasz Kubot. Após seis meses separados, eles perderam para os norte-americanos Nicholas Monroe e Frances Tiafoe por 2 sets a 0, parciais de 6/3 e 6/4, em 1h18min. “Eles jogaram bem. E nós não começamos tão bem. Acabamos voltando depois de um break, tivemos chances de passar na frente. De repente, poderia ter mudado a história do jogo. Jogaram melhor. Tivemos chance de novo de quebrar e não conseguimos, para voltar no jogo. O segundo set foi igual e eles aproveitaram uma oportunidade”, explicou Marcelo. O próximo torneio da dupla será o ATP 500 de Halle (Alemanha), a partir do dia 14 de junho. No ranking mundial individual de duplas divulgado na última segunda-feira (31) pela Associação dos Tenistas Profissionais (ATP), Melo está na 18º posição, com 5.280 pontos. Kubot aparece em 17º, com 5.310 pontos. No torneio de duplas feminino, a brasileira Luisa Stefani, número 25 do ranking mundial, teve que abrir mão da participação da competição após passar por uma cirurgia de remoção do apêndice na última quinta-feira (27).

Enquanto isso, no torneio masculino de simples, o brasileiro Thiago Monteiro, número 80 do ranking mundial, joga pela segunda rodada contra o norte-americano Steve Johnson na próxima quarta-feira. O horário do jogo ainda não foi confirmado pela organização do torneio. “Ele é um grande sacador e muito agressivo em quadra. Tenho que aproveitar as pequenas oportunidades que terei jogando na devolução. Também preciso fazer o Johnson se mexer bastante em quadra, que é algo que incomoda o jogo dele”, projetou o tenista número 1 do Brasil.

LEIA MAIS